Pequenas reticências…

Archive for Novembro 2013

Imagem

— Eu não tenho medo de nada.

— Você tem medo de lobisomem.

— Isso foi uma pergunta ou uma afirmação?

— Uma afirmação: você tem medo de lobisomem.

— Eu não! Você que tem medo de…  de… de mula sem cabeça!!!

— Capaz! Só tenho medo de cachorro grande, de boi chifrudo e de cobra.

— Uuuhhh… “Só tenho medo de cachorro grande, de boi chifrudo e de cobra”… Duvido! Deve ter medo de muito mais coisas que existem; além das coisas que a gente não sabe se existe.

— Como o quê?

— Saci, lobisomem, loira do banheiro, fantasmas, mula sem cabeça…

— Você se arrepiou.

— Isso foi uma pergunta ou uma afirmação?

A tia Kia
lia à luz do dia
Enquanto a Bia
via a gata na pia
e ria:
Mia, minha gatinha, mia!

 

Imagem

Conto recontado por Marcia Paganini

 

Era uma vez, três porquinhos irmãos que viviam em um vilarejo. O mais velho passava o dia trabalhando, enquanto os outros dois brincavam.

Cansado de trabalhar sozinho, o irmão mais velho decidiu que cada um construiria sua própria casa.

O irmão mais novo queria acabar logo e ir brincar. Então, construiu uma casa de palha. O irmão do meio também queria brincar e, por sua vez, construiu uma casa de madeira. Já o irmão mais velho construiu uma casa de tijolos.

Imagem

Certo dia, o irmão mais novo estava brincando no quintal quando viu um lobo sair da floresta. Correu o máximo que pôde para sua casa e lá se trancou. O lobo, aproximando-se da casa, gritou:

— Abra essa porta!

— Não vou abrir! — disse o porquinho.

— Então vou soprar, e soprar, e soprar, até derrubar sua casa!

— Vá em frente, seu lobo mau!

Imagem

Para a tristeza do irmão mais novo, a casa de palha foi pelos ares no primeiro sopro do lobo.

Mais do que depressa, o porquinho pôs-se a correr até a casa de madeira do irmão do meio. Juntos, se trancaram.

— Abram essa porta! — disse o lobo.

— Não vamos abrir! — responderam.

— Então vou soprar, e soprar, e soprar, até derrubar sua casa!

E ele soprou, fazendo a casa tremer. O lobo puxou mais ar e soprou com mais força, até que tudo foi pros ares.

Desesperados, os porquinhos correram para a casa do irmão mais velho, que estava começando a fazer o jantar.

O irmão mais velho acolheu os irmãos e trancou a porta.

— Abram essa porta! — gritou o lobo.Imagem

— Não vamos abrir! — responderam.

— Então vou soprar, e soprar, e soprar, até derrubar sua casa!

E o lobo soprou uma, duas, três vezes, e a casa nem se mexeu. Viu, então, a chaminé e pensou: “é por ali mesmo que vou entrar”.

O irmão mais velho, percebendo a esperteza do lobo, logo viu que ele não era tão esperto assim. E falou:

— Ajudem-me a colocar lenha no fogo.

Imagem

E assim fizeram. O fogo subiu e ficou forte, e vocês já podem imaginar o que aconteceu: o lobo caiu em cima das chamas, se queimando todo. Da mesma forma que entrou, ele saiu, gritando de dor pela floresta.

Depois disso, tudo ficou bem no vilarejo e os três porquinhos viveram felizes.

 

Imagem

Imagens: Estúdios Disney